TopAd-Desk
TopAd-Mob
Início Destaques Coluna | Era sol que me faltava | UÉ, mas não havia...

Coluna | Era sol que me faltava | UÉ, mas não havia expectativa da pandemia nos humanizar?


UÉ, mas não havia expectativa da pandemia nos humanizar?

Há algumas semanas quando escrevi sobre a pouca força que a linguagem tem sobre a realidade, algumas pessoas, evidentemente no seu direito, contestaram. Eu quis afirmar, e quero agora reforçar, que talvez o dito realmente não seja capaz de transformar a vida como ela é. Até mesmo a realidade, inevitavelmente se impondo como se impõe, transforma pouco o nosso âmago se não houver uma disposição séria de apropriação de si e uma intencionalidade para a mudança. 

Apesar da nossa gritante capacidade de esquecer o vivido, ou de fazer uso inconveniente da história, todos devem recordar-se do início da pandemia, quando o cenário começou a tomar proporções mundiais e as mortes aumentaram escalonadamente. A comoção foi geral, brotou em muitos de nós um sentimento de solidariedade, generosidade e a tal da empatia, como não somos capazes de fazer em outras situações que não as desgraças. Existe em nós certa sedução pelo sofrimento alheio, enquanto ainda podemos estender a mão, o maior sinal que volta para mim é de que ainda não sou eu a sofrer, e nossa, que alívio. 

Falou-se até da recuperação da natureza em razão da ausência do homem, da possibilidade de uma convivência mais harmoniosa e regida pelo respeito, solidariedade e preservação; O que temos vivido nos últimos meses? O mundo todo se sensibilizou e choramos diariamente pelas mais variadas histórias que passamos a acompanhar. Inclusive as recomendações sanitárias iniciais foram respeitadas e levadas à sério. E uma séria expectativa de esperança na humanidade foi florescendo e desabrochando. Mas a sensação que permanece em mim é de que murchou bastante rápido. 

Existe em nós uma condição beligerante, é disto inclusive que trata a nossa vida, uma luta constante de forças que se hierarquizam, hora dominantes, hora dominadas. Agora, o que realmente parece danoso é a necessidade infantil de polarizar tudo, como se a vida coubesse em dualismos como o certo-errado, bom-ruim, bem-mal, saúde-doença, belo-feio, direita-esquerda. Quando, no final das contas, vivemos por gradações e nuances, mais saudável, menos saudável, mais doente, menos doente, um não exclui o outro. 

Enfim, foi só chegar o período eleitoral para que voltássemos a nos portar como cães e gatos, adjetivar os adversários como ruins, maus e equivocados. Hoje, inúmeros gozam mais a derrota do adversário do que a própria vitória, aquela necessidade narcísica de sentir-se superior e festejar o fracasso alheio, bastante humano, não é mesmo? Malgrado, tudo decorre à ‘normalidade’, o tal do Óbvio Ululante de Nelson Rodrigues. 

P.S: sempre indisponível para os chorões que contestam como uma questão de doxa, e sempre à disposição para diálogo na busca da episteme.

Caloroso cumprimento e até semana que vem!

Solange Kappes
Psicóloga CRP 12/15087
E-mail: [email protected]
Redes sociais:www.facebook.com/solange.kappes | Intagram: @solangekappes

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

SideBarAd-Desk/Mob (custom)

MAIS LIDAS

SINTE Chapecó esclarece que fala de manifestante não condiz com posicionamento do órgão

"A maior parte destes pais são de escolas particulares. Eu represento as escolas públicas estaduais” afirma manifestante, em trecho de vídeo publicado nesta quinta-feira...

Você viu? Atualização do WhatsApp permite enviar mensagens temporárias

O WhatsApp anunciou em novembro uma nova função de mensagens temporárias que desaparecem depois de sete dias após o envio. O usuário vai precisar habilitar...

Chapecó terá orçamento de R$ 1,1 bilhão em 2021

Os vereadores de Chapecó, em sessão ordinária desta quinta-feira (03), votaram e aprovaram, em segunda votação, a Lei Orçamentária Anual do Município. O projeto...

Defensoria Pública entra na justiça para cancelar toque de recolher em SC

A 4ª Defensoria Pública da Capital entrou com um habeas corpus na justiça para pedir o cancelamento do toque de recolher em Santa Catarina. No...
BaseAd-Desk
BaseAd-Mob
error: Conteúdo protegido!